Memórias Crônicas e Declarações de Amor

Episódio de Hoje: Uma infância verdadeiramente feliz - Anos 80 e 90.










Pois bem, isto não é um post, é uma bíblia da minha infância e de muitos de vocês também. Quem estiver disposto a ler tuuuudo isso, me responda uma coisa: Vocês que tiveram suas infâncias nos anos 80 e 90, é impossível esquecer,

eu sei que é impossível não é ? Porque vivenciamos a mais fantástica época, e afinal de contas foi a infância mais feliz sim, a mais divertida sim e a melhor sim, óbvio. Aproveitamos em todos os sentidos: Músicas, desenhos, escola, brinquedos e brincadeiras.

Pra começar, a gente andava de bicicleta e patins pra lá e pra cá, sem capacetes, joelheiras, caneleiras, cotoveleiras e outras leiras... Bebíamos água do filtro de barro, da mangueira, sem nenhuma preocupação com micróbios. Andavamos horrores de velotrol, contruíamos aqueles “famosos” carrinhos de rolimã e aqueles que tinham a sorte

de morar perto de uma ladeira asfaltada, podiam tentar bater o record de velocidade. Eu como era um menino maluquinho descia o morro da casa da minha tia em velocidade máxima em tempo de espatifar a cara no chão...Coisas de criança pertubada. né?

Íamos brincar na rua com uma única condição: voltar para casa ao anoitecer depois de ter cansado no pique esconde.. pique pega.. pique estátua.. pique bandeira.... três cortes...Só não gostava de peladinha...mas era um bom goleiro hahaha. E vídeo game eu só tive um: Master Sistem 1, 2, 3....Adorava zerar o Sônic e o Super Mário Bros \o//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Não havia internet, não havia celular... Tínhamos aula só de manhã, fazíamos disputa de lancheiras e almoçavamos em casa. E nas escolas tínham bons e maus alunos. Os bons passavam de série o os maus ficavam reprovados e ninguém ia, por isso, num psicólogo ou psicoterapêuta. Não havia a moda do superdotado, nem se falava em dislexia nem problemas de concentração, e a hiperatividade estava começando a surgir como a novidade da época. Eu mesmo fiz diversos eletrocéfalogramas para medir o grau da minha, foi daí que entrei num tratamento que durou 4 anos. Eu era uma criança hiperativa, imagina ?


Quem nunca ficou com bolhas nos pés de tanto pular no

pogobol? Eu fiquei \o/


Quem nunca subia num lugar alto para jogar sua mola maluca e ver ela ir e voltar?

Eu subia \o/

E quando ela descia os degraus da escada..era tudo!


E quem nunca teve medo dessa cara maluca que tinha tempo pra ser montada? E quando o tempo acabava dava susto em todo mundo. Eu morria de medo \o/.



Se o Pense Bem foi o primeiro“notebook”da história nacional, Eu não sei

HAHA

HAHA!







Mas sei que Meu Primeiro Gradiente foi esse vermelhinho, isso foi com certeza. Eu passava horas gravando músicas do rádio na fitinha transparente que acompanhava e cantando. E que tive os dois modelos..já estava esquecendo disso.







A paixão e mania da minha vida foi o Lego. Quando ganhei de natal fiquei tão encantado e apaixonado que nem dormia mais. Só pensava em ficar montando castelos de lego. Fui ganhando mais legos e minha casa ficou impregnada. Tinha uma caixa só para guardar as pecinhas e um quarto só para brincar de pedreiro leguista. Os bloquinhos de construção foram sucesso e mania nas décadas de 80 e 90, mas perdeu força com a chegada dos brinquedos mais tecnológicos.





Confesso que já fui expulso da sala de aula por levar meu tamagochi sim. Também confesso que comprava muitos salgadinhos da

Elma Chips só pra colecionar Tazos sim.
Quanto mais eu tinha,
mais me sentia poderoso sim.HAHAHA.






PUNKY, A
LEVADA DA BRECA
A gente ficava colado com a cara na tv esperando Punky começar no SBT.


XUXA
Quando ela ainda não tinha Twitter, nem filha alfabetizada em inglês e a gente sonhava em ir embora com ela na nave não é mesmo?
"Bom estar com você, brincar com você, deixar correr solto o que a gente quiser.♪♪♪"




CHOCOLATE TURMA DA MÔNICA

Gente, por que será que tiraram de circulação? Tão gostoso! Eu comia a moldura e depois o personagem…Haha. ^^ .




MERECE DESTAQUE!


Acho que nada marcou tanto a minha infância quanto o Chaves e Chapolin. Posso assistir aos episódios trocentas vezes, e ainda sim eles me arrancam ótimas gargalhadas. Rí bastante com a bruxa Baratuxa e a palavra cabalística Parangaricotirimiruarum“, que transformava a pobre camponesa de nobre coração que ia todos os dias ao bosque recolher lenhas” em árvore, porque a nobre camponesa se recusou a casar com o filho feioso da bruxa. Morria de rir nos episódios em que o Chapolin usava a Corneta Paralisadora! A tinta invisibilizadora! Os aerolitos voadores! E naquele em que ele ia ajudar os moradores de uma casa em que os móveis e as paredes saiam voando por causa do extrato de energia volátil.

Idolatrava os vilões mais bizarros como o Abominável homem das neves, o Tripa Seca, Almôndega, Quase Nada , Polcas Trancas, Racha Cuca, Mão Negra e o Porca Solta, um louco perigoso que fugiu do manicômio.

E cantava horrores com o Chaves: que bonita sua roupa, que roupinha mutio louca, nela é tudo remendado, não vale nenhum centavo, mas agrada a quem olhar...".














E continuando na televisão, uma série de desenhos tornava minhas manhãs muito mais animadas...Thundercats, Power Rangers, Caverna o Dragão, Tartarugas Ninja, Cavaleiro dos Zodíacos, Ursinhos Carinhosos (Ó que meigo), Smurfs, He-Man, Pica Pau, Tom e Jerry, Cavalo de fogo, DuckTales Os caçadores de Aventura, Pernalonga, Muppet Babies que era tão lindo...entre outros que eu devo estar esquecendo....eram tantos.. Que saudades!










Haaaaa, O Fantástico mundo de Bob, O Mundo da Lua e Castelo RA TIM BUM. E claro, "♪♪♪...Ele é um colosso, e eu não largo o osso, e de dono já virei fã..♪♪", nunca poderia esquecer dos meus momentos divertidos em frente a televisão na companhia de toda TV Colosso.

E a noite adorava assitir também Glub-Glub, X-Tudo e claro, a inesquecível PROFESSORA HELENA na novela infantil Carrossel. Eu não perdia nenhum capítulo e minha personagem favorita era a Maria Joaquina e o Sirílo.




Embarque nesse carrossel onde o mundo é um faz de conta e a terra é quase céu ♪♪♪


E pra embalar o rítmo desta infância tão feliz que tive, foi ao som de nada mais, nada menos que TRÊM DA ALEGRIA, BALÃO MÁGICO, e seguido SANDY JUNIOR já nos anos 93 a 96 quando eu já tinha 10 anos. Minha infância chegava ao fim.

Eu me emociono quando escuto Trêm da Alegria. Nada vai superar esse tempo, essa magia, e me sinto tão feliz de relembrar essa época, de ter vivido esse momento e a saudade aqui é boa. Acho que a melhor infância foi a do século 20, foi sim , com certeza 80 e 90. E ninguém póde negar que foram as décadas da criançada. E se eu estiver esquecendo de algo, veja o vídeo que é um complemento para este post. Abraço a todos.











UMA MUSICA QUE EU ADORO: Pra vê se cola - Trêm da Alegria



Saudade

Quando mais novo, desconfiava que descobriríamos a verdadeira essência do sentimento "saudade" quando perdessemos nossos pais. Um certo amigo, que já havia perdido o pai a algum tempo, me disse que pra ele tudo que sentia antes, e que julgava saudade poderia ser resumido num sentimento que ainda não tinha nome, mas que havia um sabor doce, com gostinho de quero mais. Já o sentimento do pós que não tem volta, do adeus e até nunca mais, chama-se saudade e tem um sabor agridoce, no qual você sorri com as lembranças e chora com a impotência de não poder voltar no tempo e reviver aquilo, mesmo que de forma diferente, mas com a(s) mesma(s) pessoa(s) .

No início eu relutei contra esta definição, pelo fato dele ainda estar um pouco abalado pela perda do pai. Depois, bem depois, eu comecei a entender o sabor agridoce da saudade, porém, pra mim, ela póde sim ter outros sabores dependendo das circunstâncias.

Se existe um passado que você queira de volta de presente, o doce da saudade se faz como uma voz de apelo pra você poder reviver suas lembranças, mesmo que de maneira diferente. Encare a saudade doce com gostinho de quero mais como uma chance de você poder reescrever o que passou, e com a mesma essencia. Quantas férias inesquecíveis? E aquela avó que você visita no interior, que está lá esperando um abraço seu? Cadê aquele amigo que você vê de vez enquando e que construiram ótimas histórias juntos? Aquelas noites ou dias de descontração, onde você vive momentos únicos com quem você gosta, e sempre.

"Reviver é escrever um passado novamente quando a saudade faz carinho no seu coração."

Já o agridoce da saudade é como um grito surdo vindo do coração e lançado aos céus numa busca vã, mesmo sabendo que não será ouvido. E ainda sim, espera-se uma resposta.

Nesta semana a minha saudade foi assim, não posso negar, e com um gosto seco de silêncio, porque hoje é 23., um dia especial para uma pessoa que ainda hoje sinto falta. A saudade, às vezes, se torna um sentimento incômodo quando se trata de um amor mal resolvido. Hoje, um vazio se faz presente pela ausência de uma pessoa que um dia já me fez muito bem. Belas lembranças.

E não pensem que isto é uma lamentação, só estou com saudades, e sem palavras.


Speechless

Lady Gaga (Letra e vídeo)

I can't believe what you said to me
Last night when we were alone
You threw your hands up
Baby, you gave up, you gave up
I can't believe how you looked at me
With your James Dean glossy eyes
In your tight jeans with your long hair
And your cigarette stained lies

Could we fix you if you broke?
And is your punch line just a joke?

I'll never talk again
Oh, boy, you've left me speechless
You've left me speechless, so speechless
I'll never love again
Oh, boy, you've left me speechless
You've left me speechless, so speechless

I can't believe how you slurred at me
With your half wired broken jaw
You popped my heart seams
On my bubble dreams, bubble dreams
I can't believe how you looked at me
With your Johnnie Walker eyes
He's gonna get you and after he's through
There's gonna be no love left to rye

And I know that it's complicated
But I'm a loser in love, so baby
Raise a glass to mend all the broken hearts
Of all my wrecked up friends

I'll never talk again
Oh, boy, you've left me speechless
You've left me speechless, so speechless
I'll never love again
Oh, friend, you've left me speechless
You've left me speechless, so speechless

And after all the drinks
And bars that we've been to
Would you give it all up?
Could I give it all up for you?
And after all the boys
And girls that we've been through
Would you give it all up?
Could you give it all up if I promise to you boy

That I'll never talk again
And I'll never love again
I'll never write a song
Won't even sing along
I'll never love again
So speechless...
You left me speechless, so speechless
Why you so speechless, so speechless?

Will you ever talk again?
Oh boy, why you so speechless?
You've left me speechless, so speechless
Some men may follow me
But you choose "death and company"
Why you so speechless? Oh, oh





Romance Ruim





Saboreando tamanho susto, desci as escadas correndo em estado de choque. Foi uma avassaladora inquietação que me deu vontade de sair berrando pelas ruas a minha dor pelo que acabava de acontecer. Meu namorado de suicidara, depois de uma intensa noite de amor.Perdi a razão. Cadê minha razão?


No antepenúltimo degrau da maldita escada que vai até o saguão de caminho à sala de jantar da casa de Rameno , levo-me um tombo que me remete em velocidade absurda de boca no chão. Beijei o chão! Um encontro mais que perfeito. E num silêncio profundo meu sangue jorrava formando uma poça sob meu rosto. Meus dentes deram beijomeliga para mim. Tchaaaau dentes meus!! \o/ Tudo era escuro, parecia que estava dentro de uma núvem preta.Nuvem preta existe?

De repente um carão na minha frente. Era ele, Rameno, com suaves expressões no rosto acariciando meu cabelo, com uma seringa cheia de sangue e veneno na mão direita. Fui perguntar o que havia acontecido e vi que não conseguia nem falar ...Como assim? Um tetraplégico não sente as pernas, e eu não sentia minhas bocas? Mas eu só tinha uma boca. Então eu não sentia minha boca. Perdi minha boca!


Lágrimas escorriam sem parar. Chorei tanto que comecei a me afogar, daí parei de chorar.

Tudo era confuso, minha mente me fazia perguntas pitorescas .O que fazia eu, uma pessoa linda, persoasiva, chique bem, graduada, de 25 anos, naquela cama de hospital do SUS? e ainda por cima na enfermaria? Ó ! cadê meu ambiente particular? Ó ! Cadê minha vida? Estava me sentindo orfão de memória, privacidade e até de boca. Dormi.

Sonheei que dancei com você, de um jeito tão bonito, foi demais. Te abracei . Te senti. Te ouvi dizendo: - Eu também sonhei com você. E foi tão legal !! E o sonho hoje se tornou real .♪♪♪ . Essa música não saia da minha mente enquanto meu namorado fazia uma dancinha sincronizada na cama comigo e mais dois . Será um Ménage Quatreá?






Eu não distinguia ao certo o que era real e o que era delírio.Só sabia que tudo era um horror. Precisava acordar, já sabia que tudo era um pesadelo, mas ele não me deixava em paz. Tentara me levar com ele, me matar com um travesseiro me sufocando em lembranças e eu não conseguia gritar. Só queria saber o que estava acontecendo com o meu coração.


Perdi meu rumo, meu status, minha razão. Se ao menos pudesse lhe falar o que sentia. Acho que fui interrompido. É isso. Fui ficando sem ar. Estava na mão do palhaço malvado e excitado. E ele me comeu com angu, depois vomitou sangue de sentimentos aflitos.

Bom, já que estou morrendo sufocado, gostaria de deixar claro as minhas vontades: Toquem Paparazzi no meu enterro.

Acordei ainda mais feliz hoje, e com uma linda bandeja de café da manhã sobre a cama. Torradas acompanhadas de geleia de damasco do jeito que gosto, dois copos de suco de de kiwi natural, morangos enormes, bolo de cenoura com chocolate. Dei um leve sorriso de felicidade, porém cansado do pesadelo. Olhei para o lado e Rameno estava de costas, na sacada observando o jardim, a sinfonia dos pássaros que cantavam com tamanha altivez. Ultimamente estava sendo assim. Ele aparecia pra mim trazendo café da manhã na cama depois de uma noite de intenso prazer e tesão. Levantei e fui abraçá-lo na sacada. Ele me apertou tão gostoso e disse com a voz sublime. - Não quero te ver nunca mais. E me espetou com a seringa de aço cheia de frieza e insignificância.

.

.

.

.Caí das alturas da sacada e morri antes de espatifar no chão. E agora sim, acordei com a sinfonia do meu delicioso grito de dor, seguido do silêncio de um grande amor.

♪..I want your love and
I want your revenge
You and me could write a bad romance
(Oh-oh-oh--oh-oooh!)
I want your love and
All your lover's revenge
You and me could write a bad romance

Oh-oh-oh-oh-oooh-oh-oh-oh-oooh-oh-oh-oh!
Caught in a bad romance
Oh-oh-oh-oh-oooh-oh-oh-oh-oooh-oh-oh-oh!
Caught in a bad romance..♪


Eu bebo sim, estou vivendo ♪♪ ..



Eu estava lembrando de alguns fatos passados, e me recordei desta música: “♪♪..Eu bebo sim, estou vivendo, tem gente que não bebe e tá morrendo..♪♪”... Daí resolvi colocar a boca no mundo hauhauha.

A muitos anos, 7(sete) pra ser preciso, estava eu e um grupo de amigos em Minas, nessas exposições de gado de cidade do interior.. Essas exposições são as piores, ali que você nem bebe, entorna mesmo. E sul de Minas já viu né, não existe nenhuma outra bebida, só PINGA. No máximo com uma coquinha básica e pronto. Então reuniamos na pracinha da estação mal assombrada e começavamos a beber beber beber até na hora de subir para o parque de exposição a pé, porque era mais divertido. Iamos cantando esta música: Eu bebo sim...estou vivendo.♪... Cada um com sua meiota de pinga..E nessas horas aparece meiota de tudo quanto é lugar. Se você tá sem grana....iiii esquenta não. Lá pinga é mato..RsRss. Aparece de grátis. Ainda mais pra quem tem um primo que fabrica hahaha.

Enfim, a partir daí nunca mais bebi pinga, sei lá porquê. Mas o fato é que nesses dias atrás, depois do nunca mais, não é que bebi..!! E lá em Minas mesmo, na mesma cidade. E a Pinga tinha gosto de saudade das velhas exposições em que iamos todos juntos pela rua afora cantando aquelas músicas mais hilárias do Chitãozinho e Xororó até chegar no Parque de Exposição.."♪♪..E nesta loucura de dizer que não te queroooo...vou negando as aparências...disfarçando as evidências..♪♪." Cantavamos essa música pra malvada da pinga...Era triste essa vida de pinguço, a que ponto cheguei.. RS!!

Daí já viu né..!! Uma lembrança puxa a outra. Me recordei também de um carnaval de 2002 que passei lá, e um amigo me falou que ia se suicidar no rio Airuoca por conta de minha prima que não queria ficar com ele..(obs..hoje são casados e tem 1 filhinho)..

Daí veio minha prima dizendo que meu amigo ia se matar e que não sabia onde ele estava e eu já tinha bebido horrores também. Saí todo trabalhado que nem um condenado correndo feito um avestruz. Fui lá na casa dele...3(três) horas da manhã...abri a porta..todo trabalhado...Minha intenção era ir até o quarto pra saber se ele estava lá deitado dormindo, porque era a cara dele deitar pra chorar. Me dei de encontro com o Pai dele no corredor Fiquei todo trabalhado.

Perguntei pelo meu amigo calmamente: - Cê sabe se o malão chegou? .....daí ele respondeu.. - O Malão chegou chorando e já saiu....Daí fui embora né..Fazê o quê..?.Voltei pro carnaval e lá encontro meu primo pedindo ajuda porque um tal de Luciano que foi passar o carnaval lá, amigo de minha prima, estava passando mal. Ele tinha vergonha de mim, eu não sabia o por quê..

Imagina, eu de fogo, todo trabalhado, por conta de tudo que já tinha bebido, ajudando outro que nem estava aguentando andar, e ainda por cima não estava todo trabalhado...Daí pegamos o dinheiro dele e pedi pro meu primo ir comprar uma coxinha bem grande pra enfiar na boca dele pra vê se melhorava.. porque eu sou malvado quando eu quero!!! Meu primo foi e nunca mais voltou..Era pra eu estar lá até hoje, todo trabalhado, caido no meio fio esperando a coxinha, com esse Luciano.

Daí resolvi levá-lo pra casa de minha prima, que era aonde ele estava dormindo. Imagina a gente subindo o morro. Me atrabalhei todo com ele.

Chegamos lá, a casa estava destrancada. Entramos. As luzes todas apagadas. E eu morrendo de medo porque já aconteceram coisas lá que depois eu explico em outro post.

O fato é que no corredor da casa o Luciano parou e disse, - ain, chega olha aqui..E me deu um beijo tooodo trabalhado e tão prolongado que era pra estarmos beijando até hoje lá naquele corredor sem fim. E de repente uma luz acendeu...

Era minha cabeça no interruptor...

Enfim, fomos pro quarto, ele trancou a porta..nós estavamos muito trabalhados. E ficamos la fazendo lêlê..O pior é que a tia da minha prima chegou...E pra eu sair daquela maldita casa foi um suplício porque contaram pra ela que o Luciano estava passando mal...Daí ela chegou e foi toda trabalhada direto no quarto bater na porta. Eu entrei em desespero porque quando estou bebado me atrapalho todo. Vesti minha roupa e pulei a janela...todo trabalhado....saí pelos fundos e esqueci minha cueca...vesti a calça sem nada...

Vocês acreditam que nunca mais eu vi minha cueca...sumiu...O Luciano passou a mão.

E por isso que eu digo....Eu bebo sim....estou vivendo...

Agora chega senão não sobra pra depois...


Seguidores