O Barquinho

Não encontramos explicação quando no meio de um deserto encontramos uma fonte de água pura, límpida e cristalina.
Sim, certamente é fruto de nossa imaginação, pois estaremos sedentos, e nossa mente é capaz de criar mil e uma armadilhas para nos pegar, só que comigo aconteceu diferente.
No meio de um mar encontrei um barquinho. Eu que nadava contra a maré, ou a favor dela, fato este que não fazia diferença, e me deparei com um barquinho muito bonito e antes mesmo que eu conseguisse subir até ele alguém me estendeu a mão.
De imediato não pude ver seu rosto, apenas uma mão, pela qual resolvi me apegar. E não tenho explicação para dizer o porquê. Por estar no mar ?  Não, pois neste mar também sei nadar. Mas a mão não era de um alguém qualquer, e senti que dentro do barco poderia encontrar não apenas um espaço para me acomodar, mas uma outra vida que não seria apenas nadar e nadar.
Depois que entrei  no barco, me deparei com a Esperança. E apesar de ser amigo intimo dela, adorei a ideia tê-la ali dentro, bem mais próximo de mim e junto com este certo alguém que também era seu amigo intimo. Mas não foi só a esperança que encontrei ali...

A História continua na próxima postagem... Até lá...

DS2T


Seguidores